quarta-feira, 25 de abril de 2012

Music of the Night.

A música... você pode não gostar, desprezar, ouvir de má vontade, às vezes obrigado, por acidente...
Mas sabe o mais estranho? Com o tempo ela gruda na cabeça, como aquele chiclete que gruda na roupa, aquele maldito e inconveniente chiclete.
Às vezes você consegue acabar gostando ou pelo menos se acostumando com a música, quando gosta dela corre o risco de deixar que seja a sua favorita, aquela que tem de ouvir todos os dias, às vezes até mais de uma vez.
Pode negar, mas de certa forma nos tornamos dependentes da música... sabe, em algum momento quando não pode ouvi-la, começa a cochichar baixinho ou deixar que ela se passe somente em sua mente. Pode estar ouvindo tantos outros sons, mas o que você queria era justamente aquele e só aquele.
Mas e quem disse que com o tempo ela não pode voltar a ser inconveniente?
Na verdade acabamos por enjoar da música a ponto de não querer mais ouvir, ela fica gasta, indesejável...
E sabe que com as pessoas não é diferente?
Se for analisar, as músicas e as pessoas tem isso em comum, conseguem nos viciar a ponto de fazer repudia-las mais tarde.
E que contradição.
Pois é... boa noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário