quinta-feira, 22 de março de 2012

Unerasable Sin... quase todo momento tem uma trilha sonora.

As mãos dela... sabe que olhando assim parece as mãos da minha avó?
Principalmente se ela pusesse aquele vestidinho verde e dançasse fazendo graça... mas do que eu to falando, minha avó parece tão recatada. Aquela senhora que eu amo tanto é tão bonita, bonita pra idade dela.
Tem as marcas dos anos e da vida, uma senhora tão forte... gostaria de me inspirar nela e fazer disso um estímulo.
Mas e aí, como eu vinha dizendo... as unhas vermelhas que combinavam com aquele vestido que tinha cor de Halls de uva verde, me parece que usava um colar, agora eu não me recordo direito.
O importante é que ela era sexy, aquele sorriso... não sei não.
E essa mania chata de querer saber o que as pessoas escondem?
Eu deveria era me contentar e respeitar o que cada pessoa deseja fazer com isso que esconde, mas não eu fico cutucando até descobrir, chega a ser chato. Só que quem procura, acha e daí depois tu não pode reclamar se não gostar do que vê, não é?
E também, tem gente que faz isso por gosto, se tu dá muita bola tá indo na onda dela... pode desconfiar, mas em silêncio, juntando fatos e... ops, eu não posso entregar as minhas táticas assim, desculpa.

domingo, 4 de março de 2012

~;~

E quando é que as pessoas vão entender que falar mal do outro não lhes faz uma pessoa melhor, ein?
Falar por falar, apenas afirmando e comentando, é uma coisa. Falar com maldade, com intenção de queimar a imagem do outro, é babaquice, talvez inveja.