sexta-feira, 11 de julho de 2014

Tenho me sentido tão cheia de nada e muitas vezes tão cheia de tudo. Melancólica e sofrendo de cólica... cólica na alma, o coração mental se comprimindo.
Roupas, sapatos, meias, cigarros... bens externos, eternos, ternos e gravatas e o interior continua desmiuçando. Uma dor que vai e volta, talvez rebelde por ser ignorada e tão facilmente abafada, mas sem nunca receber a atenção que gostaria ou deveria.
Tipo a fumaça, ataca a rinite, os pulmões... bate forte na mente mas tu continua, independente das consequências. Sim? Não creio que seja só comigo.
Não faz sentido, e faz de novo... menos ainda e de repente muito mais que sempre. Pois é, já me disseram que eu sou indecisa. Realmente fica mais fácil definir alguma coisa quando quando se tem razões.
Quem desconfiaria do Balum?