domingo, 24 de julho de 2016

Enviar logo antes que delete...

...
Eu não tenho o sorriso mais perfeito - não mesmo -, ou algum dom que me diferencie das pessoas demais... minha vida é bagunçada mesmo, entre um desânimo e outro, saudades de casa, crises existenciais...
Se nem sei onde eu ando, como posso esperar que alguém descubra? Não queria isso mesmo, acho que sonho em buscar algo em conjunto.

Eu sei de todas as minhas influências torcidas, mas é impossível que não haja alguém com vontades semelhantes. Que eu fosse a motivação de uma busca, que eu fosse só alguma parte boa, eu não quero ser tudo, porque tudo eu não sou nem de mim.

Sempre há uma distância. Porque as pessoas conseguem me tocar mas eu não as toco?
Eu sinto tantas coisas... quantos anos de investimento pra haver uma reciprocidade?
Será que com amor isso vem de graça? E quando é que vem essa bosta?!

Ninguém tá mesmo muito afim de descobrir, é tão confortável ficar sozinho no seu mundo blindado, não?!
Não mesmo, mas uma andorinha só, não faz verão... ou enfia a vírgula onde lhe convir.

Vou buscar ou meu nas coisas, buscar em mim... deve ser o que faço há anos e não dá certo, mas ao menos tô mais esclarecida. Em algum tempo eu faço verão, ou descubro de vez que a vida solitária é um inverno bem rigoroso, sem café com leite e sem um pé quente debaixo da coberta.
Já me diziam desde criança que eu nasci sozinha e que deveria depender menos dos outros... voilà!

Só queria não sentir mais, porque ser número ímpar e primo é uma merda. Bjs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário